Premiado2015pq
Entrevista: 2º colocado do concurso da Bierland revela suas aventuras no mundo cervejeiro.
29 de abril de 2016
foto_jaime_-_newspq
Participação da Bierland na Oktoberfest foi um sucesso
1 de maio de 2016
Exibir Tudo

Carioca que conquistou o terceiro lugar do concurso da Bierland conheceu a cervejaria na Oktoberfest

terceiro-lugar-concursopq

Estudar e praticar! Esses são alguns dos segredos de Lúcio Rogério Botelho, do Rio de Janeiro, que conquistou o 3º lugar do 4º Concurso Cervejeiro Caseiro Bierland, para uma boa cerveja. Em uma entrevista, ele contou como conheceu a Bierland, porque decidiu participar do concurso e a sua dedicação à produção das cervejas. Confira!

Porque você decidiu participar do concurso cervejeiro caseiro da Bierland? Já conhecia a cervejaria?

Lúcio Rogério Botelho – Sim, já conhecia. Já tinha ido a Blumenau duas vezes, uma delas em uma Oktoberfest, e pude experimentar cervejas da Bierland e, diga-se de passagem, são muito boas. Resolvi participar do concurso primeiramente pela Bierland ser uma cervejaria reconhecida no meio cervejeiro. Também porque gosto das competições e queria ter minha cerveja avaliada em uma dessas para ver como ficaria.

Como foi a preparação da receita e da amostra para enviar à Bierland? Teve ajuda de colegas ou trabalhou sozinho?

L.R.B – Comecei estudando sobre o estilo Barley Wine no livro Barley Wine (Allen/Cantwell) para entender um pouco mais da história e técnicas para desenvolver a minha receita, além de outras fontes de pesquisa. Após pronta, deixei maturar quase três meses em temperatura de 2oC, envasei, deixei mais três meses repousando e enviei para o concurso. Quase sempre tenho trabalhado sozinho produzindo minhas cervejas, eventualmente minha esposa me ajuda em algumas tarefas mais curtas.

O que representa para você vencer o concurso da Bierland? Pretende continuar a produzir cerveja de forma artesanal?

L.R.B – Foi muito bom ter conseguido o Bronze no concurso da Bierland, uma forma de ter sido reconhecido pelos esforços em continuar evoluindo nos estudos e pesquisas para melhorar as cervejas que produzo.
Pretendo continuar a produzir sim. É sempre bom desenvolver cervejas novas e principalmente estudar a história, técnicas e processos envolvidos na sua criação. Costumo dizer que a produção de cerveja, principalmente caseira, é um assunto multidisciplinar em que precisamos entender um pouco de física, química, biologia, história, entre outras áreas e ainda ter criatividade para combinar todos os elementos para criar cervejas interessantes e gostosas.

Essa foi a primeira vez que você participou de um concurso cervejeiro? Fale um pouco da sua história e relação com a cerveja.

L.R.B – Essa não foi a primeira vez que participei de um concurso cervejeiro. Já participei de outros, principalmente das ACERVAs (Associação de Cervejeiros Artesanais), onde consegui o 1º lugar no Concurso da ACERVA Carioca 2014 (Estadual) no estilo Düsseldorf Altbier, 1º lugar no Concurso da ACERVA Nacional 2015 no estilo Trigo e Centeio com uma Weizenbock e por último, na ACERVA Carioca – Regional Niterói 2015 o 1º lugar no estilo American Wheat Beer com fruta (no meu caso caju), que deve ser produzida pela Cervejaria Noi de Niterói (conforme regras do concurso).
Minha história com as cervejas caseiras foi mais ou menos assim: já apreciava cervejas especiais há algum tempo e também já tinha me interessado por produção caseira após ver algumas reportagens sobre o que faziam nos Estados Unidos e também após um programa de televisão com o Sam Calagione da Dogfish Head, mas não sabia como estava este movimento no Brasil. Após ir a Oktoberfest (em outubro de 2012) em Blumenau, fiquei conhecendo a Revista da Cerveja, que estava sendo vendida em um bar, que estava no número 2 na época, e, nesta revista, além de diversos tópicos sobre cerveja artesanal, estava uma receita de cerveja caseira. Neste momento comecei a pesquisar sobre cerveja caseira no Brasil e vi que haveria um festival da Acerva Carioca em novembro aqui no Rio, então resolvi ir e fui conhecendo pessoas que faziam e ,conversando com elas, fui preparando meus equipamentos iniciais e comprando insumos até que comecei a produzir em maio de 2013. De lá até agora, venho estudando e fazendo cervejas, e a cada uma tentando aprender mais com o que dá certo ou errado e aprimorando o conhecimento.

terceiro-lugar-concurso